Colesterol: Excesso de gorduras no sangue

As gorduras, também chamadas de lipídeos, são substâncias ricas em energia que servem como combustível para os processos metabólicos do nosso organismo. As gorduras são obtidas por meio dos alimentos ou são formadas no corpo (principalmente no fígado), podendo ser armazenadas nas células do organismo para uso no futuro. Além disso, elas isolam o corpo contra o frio e ajudam a protegê-lo contra lesões. As principais gorduras presentes no sangue são o colesterol e os triglicérides.

Uma quantidade anormal de gordura circulando na corrente sanguínea, principalmente de colesterol, pode causar problemas a longo prazo como a aterosclerose (endurecimento das artérias) e doenças das artérias coronárias ou da das carótidas (entupimento), com consequente aumento do risco de infarto do miocárdio (enfarte) e de acidente vascular cerebral (derrame).
A concentração ideal de colesterol total no organismo é de 140 a 200mg/dl. A de triglicérides vai até 250mg/dl. O risco de infarto do miocárdio é o dobro quando a concentração de colesterol, ultrapassa os 300mg/dl. E a de triglicérides alcança 800mg/dl.

Existem três tipos de colesterol: o LDL, o VLDL e o HDL. Os dois primeiros são considerados colesterol ruins e o último é o bom colesterol. As frações LDL e VLDL do colesterol (as ruins) carregam as gorduras para dentro das artérias, entupindo-as. A fração HDL do colesterol (o bom colesterol) carrega as gorduras para o fígado, de onde elas são metabolizadas e eliminadas pelo intestino. Quando os níveis de LDL-colesterol estiverem acima de 130mg/dl e os de VLDL-colesterol acima de 40mg/dl, o risco de doenças cardíacas é maior, enquanto o HDL-colesterol, que é benéfico ao organismo, diminui o risco quando sua concentração no sangue estiver acima de 40mg/dl.

A hiperlipidemia consiste na concentração elevada das gorduras no sangue, tanto do colesterol quanto dos triglicérides. Essas concentrações de gordura no sangue aumentam com a idade, principalmente nos homens, e nas mulheres após a menopausa.
As principais causas do aumento de colesterol no organismo são: dieta rica em gorduras, diabetes mal controlada, obesidade, falta de exercício, tabagismo, deficiência no funcionamento da tireóide, hereditariedade, problemas no fígado e nos rins.

As principais causas do aumento de triglicérides no organismo são: excesso de calorias na dieta, abuso no uso de álcool, hereditariedade, obesidade, falta de exercícios, tabagismo, problemas nos rins, diabetes mal controlada e a utilização de alguns medicamentos tais como contraceptivos orais, corticosteróides, diuréticos e estrógenos.
Cada pessoa elimina as gorduras do sangue de maneira diferente. Um indivíduo pode consumir grandes quantidades de gordura e nunca apresentar uma concentração alta de colesterol no sangue, enquanto um outro pode seguir uma dieta com baixa gordura e jamais apresentar uma concentração de colesterol inferior a 200mg/dl. Essa diferença é determinada, basicamente, pelo fator hereditário.
De modo geral, o aumento de gorduras no sangue não produz sintomas. As amostras de sangue para se dosar as concentrações de colesterol e de triglicérides são mais confiáveis quando coletadas após um jejum de 12 horas.

O principal tratamento para diminuirmos as concentrações de gorduras no organismo é a dieta pobre em gorduras, evitando alimentos como frituras, ovos, queijos amarelos, carne vermelha, dando preferência a uma dieta à base de verduras, saladas e carnes brancas (principalmente frango sem pele e peixes). Além disso, os exercícios podem ajudar a diminuir a quantidade de LDL-colesterol (que é o colesterol ruim) e aumentar a de HDL-colesterol (o colesterol bom). Devemos realizar algum tipo de atividade física, pelo menos durante 30 minutos, diariamente (andar é a melhor maneira de exercitar-se).

Outras medidas são importantes na “luta” contra o aumento das gorduras, tais como: a perda de peso, a interrupção do tabagismo e a diminuição da ingestão de bebidas alcoólicas.
O uso de medicamentos específicos para a redução das gorduras é indicado em situações específicas, só devendo ser utilizado quando prescritos por médicos, já que podem provocar efeitos colaterais indesejáveis se não forem tomados corretamente.
A utilização de métodos “naturais’ para combater o excesso de gordura no sangue, tais como a ingestão de berinjela com laranja, por exemplo, não tem qualquer base científica e é de eficácia duvidosa.

Comente esta notícia